Busca

Poesia e Coisas

Poesia. Poema. Conto. Crônica. Escrita.

nossa

Tomaram a nossa vez. Pois, saibam que precisamos nos manter de pé. Cuidado com as caras pintadas, inúteis e amigos dos do outro lado. Quero te prometer que volto, mas a verdade é que eu não posso fazer promessas, ou talvez você chore duas vezes. Uma vez já é demais para os olhos de quem quer que seja. Ainda mais para os olhos de quem eu amo. Valei-me todos os que possam me valer, em espírito e em carne, ossos e pés ligeiros. Duradoura só a dor, mas não será eterna. Precisamos persistir, que o nosso povo entende o medo, mas a luta até melhor.

sois sóis

Temporais que sois
Sóis depois em vós
Grama verde exala

Em momentos do dia
Meu pensamento voa
Pousou no teu ombro

apenas fases

Sem paz
Repleta de dúvidas
Como um corpo novo
Que nunca caiu
Na umidade das lágrimas
Sou apenas uma
As outras são fases.

mais uma gota

Espera
Espera
Falta só mais uma gota
E todo o oceano a ti desmanchará
O sal que beija e marca
Ele a ti provocará
Enquanto não desmaio
Miro os prédios
Enfaixo uma cabeça
Com os tapetes irreais da realeza
Somos a mesma carne
E o mesmo sangue adocicado
Tempere-os com os pequenos grãos
Enquanto espera
Espera
Só mais uma gota de ilusão

cobertor

Costurei um monte de palavras forrando o colchão
Para quando deitares a tua cabeça
Meu amor se imiscuir na tua pele

Eu não sei falar nada que eu quero
Por isso nasceram os poemas
Pois, há outros que também não sabem

Na tua pele peço as minhas palavras
Que agora fazem de si cobertor
Teus calafrios serão apenas de saudade
Nunca mais por faltarem versos de amor.

doce

Teu riso doce
se apossa de mim
No meio da meia
brota um comichão
Abarrota os meus olhos
Suo introspecção
Soa grave e liberto
Cheio de interjeição
Meus suspiros secretos
Ditos na dupla-mão
Dos meus sonhos despertos
Quando eu toco a tua mão
Nossos dedos que aperto
Teu riso doce é canção

mil formas

Mil formas a tua boca hei eu
de dar
Mil formas de sermões e
aquarelas
Mil formas de poeira
estelar
Mil formas tuas e todas
belas

Leia Mulheres 2019

Minha lista tradicional de livros escritos por mulheres maravilhosas que li durante este ano (2019) e recomendo:

  • Eu sei porque o pássaro canta na gaiola – Maya Angelou
  • Becos da memória – Conceição Evaristo
  • A teus pés – Ana Cristina Cesar
  • A Redoma de vidro – Sylvia Plath
  • Presos que menstruam – Nana Queiroz
  • A Comissão chapeleira – Renata Ventura
  • Maria Bonita: Sexo, violência e mulheres no cangaço – Adriana Negreiros
  • Um Buraco com meu nome – Jarid Arraes
  • Precisamos de novos nomes – NoViolet Bulawayo
  • A Mão esquerda da escuridão – Ursula K. Le Guin
  • Os Malaquias – Andréa del Fuego
  • A Serpente emplumada – Xu Xiaobin
  • Feminismo em comum: Para todas, todes e todos – Marcia Tiburi

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑